.: Arquivos :.

- 25/05/2014 a 31/05/2014
- 11/05/2014 a 17/05/2014
- 04/05/2014 a 10/05/2014
- 20/04/2014 a 26/04/2014
- 13/04/2014 a 19/04/2014
- 06/04/2014 a 12/04/2014
- 16/03/2014 a 22/03/2014
- 02/03/2014 a 08/03/2014
- 23/02/2014 a 01/03/2014
- 16/02/2014 a 22/02/2014
- 26/01/2014 a 01/02/2014
- 19/01/2014 a 25/01/2014
- 12/01/2014 a 18/01/2014
- 05/01/2014 a 11/01/2014
- 29/12/2013 a 04/01/2014
- 22/12/2013 a 28/12/2013
- 24/11/2013 a 30/11/2013
- 27/10/2013 a 02/11/2013
- 15/07/2012 a 21/07/2012
- 08/07/2012 a 14/07/2012
- 01/07/2012 a 07/07/2012
- 24/06/2012 a 30/06/2012
- 03/06/2012 a 09/06/2012
- 18/03/2012 a 24/03/2012
- 27/11/2011 a 03/12/2011
- 20/11/2011 a 26/11/2011
- 06/11/2011 a 12/11/2011
- 16/10/2011 a 22/10/2011
- 19/06/2011 a 25/06/2011
- 25/01/2009 a 31/01/2009
- 18/01/2009 a 24/01/2009
- 04/01/2009 a 10/01/2009
- 31/08/2008 a 06/09/2008
- 15/06/2008 a 21/06/2008
- 08/06/2008 a 14/06/2008
- 18/05/2008 a 24/05/2008
- 04/05/2008 a 10/05/2008
- 27/04/2008 a 03/05/2008
- 13/04/2008 a 19/04/2008
- 23/03/2008 a 29/03/2008
- 24/02/2008 a 01/03/2008
- 17/02/2008 a 23/02/2008
- 10/02/2008 a 16/02/2008
- 27/01/2008 a 02/02/2008
- 20/01/2008 a 26/01/2008
- 06/01/2008 a 12/01/2008
- 23/12/2007 a 29/12/2007
- 16/12/2007 a 22/12/2007
- 02/12/2007 a 08/12/2007
- 25/11/2007 a 01/12/2007
- 18/11/2007 a 24/11/2007
- 04/11/2007 a 10/11/2007
- 28/10/2007 a 03/11/2007
- 14/10/2007 a 20/10/2007
- 30/09/2007 a 06/10/2007
- 23/09/2007 a 29/09/2007
- 16/09/2007 a 22/09/2007
- 09/09/2007 a 15/09/2007
- 02/09/2007 a 08/09/2007
- 26/08/2007 a 01/09/2007
- 19/08/2007 a 25/08/2007
- 12/08/2007 a 18/08/2007
- 05/08/2007 a 11/08/2007
- 29/07/2007 a 04/08/2007
- 22/07/2007 a 28/07/2007
- 15/07/2007 a 21/07/2007
- 08/07/2007 a 14/07/2007
- 01/07/2007 a 07/07/2007
- 24/06/2007 a 30/06/2007
- 17/06/2007 a 23/06/2007
- 10/06/2007 a 16/06/2007
- 03/06/2007 a 09/06/2007
- 27/05/2007 a 02/06/2007
- 20/05/2007 a 26/05/2007
- 13/05/2007 a 19/05/2007
- 06/05/2007 a 12/05/2007
- 29/04/2007 a 05/05/2007
- 22/04/2007 a 28/04/2007
- 15/04/2007 a 21/04/2007
- 08/04/2007 a 14/04/2007
- 01/04/2007 a 07/04/2007
- 25/03/2007 a 31/03/2007
- 18/03/2007 a 24/03/2007
- 11/03/2007 a 17/03/2007
- 04/03/2007 a 10/03/2007
- 25/02/2007 a 03/03/2007
- 18/02/2007 a 24/02/2007
- 11/02/2007 a 17/02/2007
- 04/02/2007 a 10/02/2007
- 28/01/2007 a 03/02/2007



.: Outros sites :.

- Eu, Rafaela a Goiabita
- Bic Azul
- Mme.Mean
- Não Discuto
- Afrodite sem Olimpo
- A Margem Oposta
- Manuscritos Poéticos
- As Maravilhosas Histórias de Juju
- Blog do JJleandro
- Doces Poesias
- Por Quimeras
- Pessoas e Tempo
- Muito Particular
- Pão, Café e Tulipas
- Blog do Lelê
- Márcia do Valle
- A Rosa do Deserto
- Abrigo Ideal
- Rosa Muraro
- Letra e Música, Canto e Palavra
- Histórias Desconexas
- Instantes
- Loba
- O Dossiê das Asas de Cera
- Flainando na Web
- Alf - O Extasiado
- Oncotô
- A Praia da Claridade
- Girassol
- Fê_Notável
- Mary - Encontro da Saudade
- Ciência em Dia
- Música e Imagem
- Lunna Guedes
- Mutações
- A Cor da Letra
- Amigo Oculto 2007 blog Loba
- Overmundo
- Livro Aberto
- Coletânea Artesanal
- Carmim


.: Votação :.

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


.: Visitantes :.

.: Créditos :.

Dream Melody Layouts
template by cecis




Paraíso


Imagem do google

 

Cada qual constroe seu paraíso

Com as ferramentas de suas mãos

Um rio claro e transparente

Vi você cintilar

Não foi proposital

Vi um mundo diferente através de seus olhos

Vi quanta dor escondida alguém pode carregar

Depois de tantos jogos, tantos códigos

O seu eu apareceu

Tão transparente quanto eu fui

Paraíso as vezes é a sinceridade

E o tocar das mãos de duas metades

É a circunferência que se completa

Ora plana, ora reta

Não alimento-me de sonhos

Mas a razão me completa

Mesmo que um beijo roubado

Venha ser a coisa certa...



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 17h09
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





As Invenções da Vida

Imagem do google

 

A vida é uma espera

Pelo horizonte que aguarda

A grande esfera.

 

É um grito ardente

Que faz a garganta doer

Na inercia quente.

 

É um silêncio distante

De passos sem sons

Mutante.

 

É uma curiosidade

Como da criança a descoberta

Do correr a agilidade.

 

É uma invenção

Do amar e não amar

Do bem-me-quer, mal-me-quer

O patamar

Da decisão que o retem.

 

A vida é uma concha entre aberta

Ou sai

Ou fica-se quieta...



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 17h01
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Reflexão Sobre o Eu


Imagem retirada do google


Quem é você quando está sozinho?

Se esconde atrás de seus medos

Naquele cantinho?


Quem é você

Lá no fundo de verdade?

Um ser egoísta que sofre

De sua própria vaidade?


Quem és?

Quando a porta do quarto se fecha

E ninguém mais te vê?

Quem és?

Em seus pensamentos submersos

Secretos nas paredes da mente.


Banhada de emoção as lágrimas caem

E depois, o que se faz?

É muito fácil ter essa linha

Sentimental

Mas no final

Não faz diferença.


Quem somos nós

Quando a crueldade vem

Em doces brincadeiras

Quando molha-se o travesseiro

De lágrimas passageiras.


Quem você é lá no fundo

Onde está o seu mundo?

Onde mora o seu sorriso?

Será que sente falta?

Dentro de seu coração

Por menor que seja

Dessa pequena

E insignificante floração?



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 21h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Formas de Um Mundo Aéreo


Imagem do google


Falei para o vento

E ele não respondeu

Nem sequer um eco

Ele me deu

Passou de leve em um beijo

Frio na face quente

Porque esperar do vento

Coisas assim de repente?

Na minha solitude

Caminhando em contentamento

Encontrei meu horizonte

Buscando o meu eixo

O que fazer agora?

Quando acostuma-se

Com as cores da aurora?

Como esquecer

De momentos tão singelos?

Perdi todas as palavras

No vento foram embora

Voaram como pássaros

Através do agora...

 

Jucila Cruz



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 20h02
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Formas de Um Mundo Líquido

Imagem do google


A chuva cai tão fria

Formando um mundo tão líquido

Meus olhos estão nublados

Não é tristeza é só chuva contínua

Que cai interminável

Toda no interior

Essa percepção tão cinza

Mudanças tão necessárias

Tiram tudo do lugar

Esforço e resistência

Das pernas que movem devagar

Memórias são feito raios

Suspiros de alegria

Felicidade aos bocados

Bocados de cada dia

E a chuva continua o ciciar

Lento...sobre a luz solar

Sons que alegram

Meu caminhar.

 

Jucila Cruz



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 17h17
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Pequenos Prazeres de Dias Nublados


Imagem do google

Dias de céu cinza grafitado

Ouço o som da chuva no quarto

Perco-me em pequenos prazeres

O café e o chá que aquece

Pouco a pouco...gota a gota

O sussuro do vento na janela

O pão quente com queijo tostado

Uma boa leitura ao lado

Um abraço reconfortante

Boa palavras...porque não?

Essa trajetoria da água que vai

E não volto atrás

Dias nublados são de melancolia

E sonho, de dias que não chegaram

Ainda...

 

Jucila Cruz



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 22h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Análise Prática do Medo


Imagem do google


O medo é um segredo

Sussurado ao pé do ouvido

É uma mola que incita

Pule muito acima

Ou prenda-se muito em baixo

Medo não é meu amigo

Nem gosto dele

É confortável desviar

É tão fácil desistir

Mas porque não encarar?

Negativas acontecem

Todos os dias

Será mais uma

Entre uma pilhas delas

Mas o medo é o próprio

Medo

Se cintila a positiva

Tudo clareia feito sol

Por isso tem que se ter

Coragem

Mesmo que o coração

Aperte

E se isole

O medo pode ser

A garra que segura

O câncer que definha

Não existe meio termo

Você escolhe

O que faz com ele

Se o permite consumir

Ou expulsa de si.



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 16h32
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





 

Abusada


Imagem do google

 

Ela é abusada

Chega a ser audaz

Se oferece como um doce

Para você pedir mais

Ela sabe o que quer

E para que veio

Tolos são os que caem

Vem como o correio

Entrega sua carta

Esperta lagarta

Se faz de borboleta

Tola e absoleta

Em outras palavras diz

"Que horas me encontrar?"

Predadora atrevida

Não conhece o seu lugar...



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 21h20
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Análise Prática da Ilusão


Imagem do google

 

Ilusão é confiar em palavras

E no próprio coração

Se deixar cativar como a brisa

Que passa sem escolher

Por onde vai

Simples flor do vento

Sei o que é sofrer

De dores que na alma espelham

Tantas coisas

Aprendi a não amar

Facilmente quem rodeia

A não acreditar

Em palavras sem ação

Já tive desse amor inocente

Desmedido que só quer amar

Aprendi a ser egoista

E não abrir meu peito

Para qualquer encantar

Amadureci com o peso

Dos anos nos braços

Mesmo sendo transparente

E previsível

Sei o que quero

Mesmo que para isso

Abrace a solidão

Como num gorjeio...



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 18h43
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Aroma de Cores Simples

Imagem de Ronnie Gaubert


Saudades e ausências

Do arco-íris aromático

Etéreo, simples

Do odor simpático.


Do amarelo e do azul

Que se transforma no verde

Do sorriso das cores

Que tem sede.


Em sonhos multicoloridos

Em refração vejo

Os caminhos da vida

Um breve cortejo.



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 18h34
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Moça Loira


Imagem do Google


Ela tinha estrelas nos olhos

E era doce o seu falar

Encontrou sua alma gêmea

Mas ela não soube a escutar.


Senhora das palavras

Continuou seu versejar

Tornou-se coadjuvante

Como uma canção de ninar.


Bela moça loira

Nada posso eu fazer

Só observar de longe

Seu esvanecer...



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 19h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Abraços de Cerejeiras

Imagem de cerejeiras em Tóquio www.uol.com.br

 

Tenho ausências primaveris

De cores e cheiros

Do orvalho da manhã

Molhando o travesseiro.


Dos sutis abraços

Das flores de cerejeiras

Borbulhaço

De folhas secas e ligeiras.


Da inconstância do vento

Da sinfonia da cigarra

Agitando o pensamento

Como o som de uma guitarra.



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 17h14
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Mesmo Universo Coerente

Tatuo seus passos em meus olhos, de um passado na qual nem lembro, tento conhecer a sua alma que é como observar um espelho, toda a exaustão que pesava nas pupilas, foi-se com a chuva e a neblina, escrever é o exercício diário, como abrir o armário da mente, silêncio é disfarçar verdades, que ninguém quer reconhecer, somos do anel o mesmo círculo, a liga do mesmo cinzel, esse mesmo universo coerente, dá voltas e voltas condescendentes, no final tudo é mais interessante, do riso livre e aberto, coisas boas acontecem todo o tempo, mesmo que demore, relampeja, espere e veja, aquela flor que tanto espera se abrir e colorir sua existência...



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 16h21
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





(Im)pessoal


Imagem do google

Nem toda escrita

É íntima

Ou pessoal

O poeta exagera

No sentimento

É um ator

Do desalento

Transmite

Que nem tem

O que nem sente

Inventa e reenventa

Das palavras

A vestimenta.



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 14h11
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------





Ciúmes tolo


Imagem do Google

Não era para ser assim

O todo nem faz diferença

Desapega no trampolim

Pula dessa "budega".

 

O cérebro diz que sim

Mas o coração escorrega

Doce leite do pudim

Que o paladar não sossega.

 

Aquele mal estar

É sintoma afetivo

De quem se apega

E não é correspondido.

 

Ciúmes tolo e feio

Coisas da humanidade

Que pega o esteiro

Da falta de cumplicidade.

 

Fujo desse mal

Sorridente arlequim

Do desespero

Não uso meu latim

Para esse embusteiro.



- Enviado por: Rafaela Silva Santos às 14h24
[ ] [ envie esta mensagem ]

---------------- * ----------------